Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Estudantes de Guaíba desenvolvem aplicativo para uso sustentável da água e são condecorados pela ONU

Publicação:

Cinco estudantes posando para a foto dentro do pavilhão do evento.
Aplicativo foi apresentado durante a Campus Party, em São Paulo.

Estudantes do curso de Engenharia de Computação, da Uergs em Guaíba, desenvolveram um aplicativo que otimiza o consumo de água potável disponível em bebedouros públicos. A iniciativa ficou entre as 20 finalistas de 51 projetos e foi condecorada pela Organização das Nações Unidas (ONU) na The Big Hackathon, uma maratona de desenvolvimento que tem a finalidade de encontrar soluções tecnológicas para os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) propostos pela ONU, além de fomentar o empreendedorismo inovador. O projeto foi apresentado durante a Campus Party, um festival de inovação, criatividade, ciências, empreendedorismo e universo digital, que ocorreu em São Paulo, de 31 de janeiro a 5 de fevereiro, e é considerado como a maior experiência tecnológica do mundo digital.

Os cinco futuros engenheiros de computação apresentaram uma proposta baseada na ODS 6, que propõe assegurar a disponibilidade e gestão sustentável de água e saneamento para todos. Trata-se de um aplicativo que funciona como uma rede colaborativa, em que o sistema e seus usuários podem sinalizar locais onde há bebedouros públicos. Para isso, foram projetados pontos de ônibus que recolhem a água da chuva, que é filtrada em filtro de barro para ficar apta ao consumo. Após esse processo, automaticamente o aplicativo é atualizado com informações sobre o nível de água no reservatório.

O grupo contou com o apoio de uma empresa paulistana, chamada de “mentora” na competição, e que é responsável pela captação das informações sobre o nível da água nos reservatórios. De acordo com o estudante Marcos da Silva, o diferencial desse aplicativo é a disponibilização dessas informações, como o local onde há bebedouros públicos e o nível de água presente neles.

Outro ponto destacado foi a sustentabilidade da proposta. “Esta ideia foi apontada por muitos como o MVP (Mais Viável Produto), considerando que a estrutura de filtragem pode ser de material reciclado, em boa parte, e que pode ser adaptada para locais onde há escassez de água”, conta Marcos.

Também integram o grupo os estudantes Caio Belem, Fernanda Ferreira, Rodrigo Schardong e Ulisses Maffazioli.

 

UERGS - Universidade Estadual do Rio Grande do Sul